domingo

Escala

Ao cantar o desencontro,
desafio o desencanto...

Encontro-me...
em palavras que não são minhas,
e já não me sinto tão sozinha...

ju rigoni (2001)


Visite também


Fundo de Mim, Dormentes, Medo de Avião.

Paleta





















Vai meu barquinho, lá longe,...
rente à linha do horizonte
que o sol, enquanto se esconde,
borda em tons alaranjados...

Céu e mar dentro dos olhos,
e eis que o pensamento
cai sobre o macio dos sonhos...

Navios...

ju rigoni (2008)

Imagem via net.


Visite também

Fundo de Mim, Medo de Avião e Dormentes.

Delírio






















Cheia de si,
minha lua olha, encantada,
sua imagem refletida nas águas....
Feliz assim... ainda é bonita!

Cintilam de inveja as estrelas...

ju rigoni (2008)


Visite também

Fundo de Mim, Medo de Avião, Dormentes.

sábado

As Outras

.
.
Eram tantas...
Com o avançar dos anos
algumas morreram;
e as que sobreviveram
ao tempo e seu passar
logo estarão de partida...
Não se assemelham em nada
com as recém-nascidas...

Olho-me ao espelho
e me pergunto:
Até quando?
Quem ainda virá?...

ju rigoni (2000)

Aos Amigos e Visitantes

Boas Festas e Feliz 2012!

Visite também

Fundo de Mim, Dormentes, Medo de Avião.

domingo

Flagelo

.
.
Não se quebra uma pedra
com as mãos nuas...
Pedras...
com pedras
hão de se quebrar?...

Pergunto-me:...
devo quebrá-las?
Talvez, quem sabe,
amontoá-las e umedecê-las,
- vesti-las de musgo,
torná-las escorregadias...

Ou esculpi-las com água
como ensina a mãe-natureza?!...

Mas,... haverá tempo?...

ju rigoni (2002)


Visite também

Fundo de Mim, Medo de Avião, Dormentes.

Do Cultivo




Planto a roseira neste verso...
Rego o talvez, neste outro...
Aqui, ela brota... Sem viço.

Tento esconder minha ânsia,
mas tudo se veste de esperas...

...

E quando perco a esperança
ergue aos meus olhos um botão...

Protegido por espinhos,
eis que se abre ao sol.

Uma rosa
em muito se parece
com um verso...

Para muitos,
é todo um poema...

ju rigoni (2000)


Imagem via net.


Visite também

Fundo de Mim, Medo de Avião, Dormentes

Certeza

.
.
Não sei dizer o que você procura...
Menos ainda o que encontra
em minhas linhas e entrelinhas...

Mas, seja lá o que for
não é meu...
Encontrou?
É seu.

Só pode ser seu...

ju rigoni (2008)


Visite também

Fundo de Mim, Dormentes, Medo de Avião.

Apertos

.
.
Pelos nós dos dedos

curvados sobre o teclado

escorrem os dados do tempo.


Nódoas refletidas no espelho

e na tela...


Nós,...

nós e os medos...

ju rigoni (2009)


N.A. Atualizando os blogues para mantê-los ativos.
Entretanto, devido aos compromissos de
trabalho, ainda sem disponibilidade de tempo
para visitar os amigos com regularidade.
Bjs e inté!


Visite também

Fundo de Mim, Dormentes, Medo de Avião.

Sêmen



Há muitas vidas
em seus pensamentos…
Fluídos que extrapolam
o volume do vidro.
Caneta ao alcance,
destila destinos…
E o papel companheiro
é abrigo, é porto,
é umbigo… e cordão.

Enquanto escreve
mais vida tem…
Mais vidas lhe vêm…

Ao reunir pensamentos,
em prosa ou em verso,
sentidos em alerta,
no prazer do espasmo
outra vez semeia
o espargir congesto…
O útero estranho aquiesce
à perene prenhez..
E cresce,… cresce,… cresce…

À insônia serve
o criado-(nem tão)mudo…
Livros, relógio, água, aspirinas,
caneta, papel…

O amanhã transborda
do presente passado…
Mais e mais histórias
paridas pelas histórias
das histórias recém-nascidas.

Amanhece…
Ainda desperto,
ele escreve… escreve… escreve…

ju rigoni (2006)


Imagem obtida aqui.


Visite também

Fundo de Mim, Dormentes, Medo de Avião.

Jejum

.
.

À frente o papel em branco:
olhamo-nos, medimo-nos...
Estranhamo-nos.

Tenho fome de palavras...
Mas elas não me vêm.
Significantes e significados se foram,
como o filho ingrato que se evadiu
e à casa não torna.
Por que?, eu me pergunto.

(...)

Por que tantas vezes
fogem de mim as palavras?
Que fiz eu?...

ju rigoni (1979)


Visite também

Fundo de Mim, Dormentes, Medo de Avião.